Se você tem notado seu cachorro e/ou gato se coçando constantemente, saiba que as pulgas podem ser as culpadas.

É comum pensarmos que nossos bichinhos, por serem muito bem cuidados, ficarão livres de pragas como estas, mas infelizmente não é bem assim. Em uma simples voltinha no quarteirão, se o animal passar por algum lugar em que haja uma pequena infestação, pronto, as pulgas já encontram um novo “lar”.

E aí vem a principal questão: como fazer para se livrar das indesejáveis pulgas?

O primeiro passo é conhecer o adversário bem de perto. As pulgas são insetos que gostam de altas temperaturas e que se alimentam do sangue, em especial de cães e gatos. Elas podem viver até um ano e, no caso das fêmeas, colocar mais de dois mil ovos durante a sua vida.

Gato coçandoA espécie mais comum é a que tem como principais características a cor castanha escura, e o tamanho minúsculo, quase imperceptível aos olhos. Outro aspecto importante é sua enorme capacidade de pular: para se ter uma noção, ela consegue saltar cerca de 200 vezes seu próprio tamanho! Por isso é tão difícil pegá-las com as mãos.

As coceiras são alguns dos sintomas que o animal com pulgas apresenta. Mas elas também podem provocar problemas um pouco mais graves:

  • A saliva que a pulga injeta ao picar pode provocar irritação na pele ou até mesmo a Dermatite Alérgica à Picada de Pulga, que se apresenta de formas diferentes nos cachorros e nos gatos. Os cães apresentam prurido intenso, ao morderem, coçar e esfregar-se no chão e em objetos. Eles também podem apresentar perda de pelo, pele vermelha e crostas na região lombar e na base da cauda (os lugares que as pulgas mais gostam de habitar). Já os gatos podem lamber-se em exagero ou arrancar os próprios pelos. Também podem desenvolver pequenas crostas vermelhas no dorso.
  • Elas podem transmitir doenças infecciosas, que podem ser muito prejudiciais aos cães e gatos.  A Micoplasmose, é uma delas. Após a transmissão pela picada da pulga, as bactérias se multiplicam pelo organismo, causando anemia, sangramentos, febre e perda de peso em gatos e em cachorros imunossuprimidos. Se não tratada precocemente, ela pode levar ao óbito. Já as endoparasitoses (ou verminoses) se desenvolvem no intestino, causando distúrbios gastrointestinais e anemia. Dentre os sinais está a inquietação dos bichinhos, ou quando começam arrastar o bumbum no chão. Importante!Apenas o veterinário é quem pode realizar o diagnóstico correto e indicar o tratamento adequado.
  • O estresse que as coceiras podem causar também pode levar o animal a comer menos, ficar deprimido ou até mesmo, agressivo.

Hoje são diversas as opções existentes para livrarmos nossos pets destes terríveis insetos, como shampoo e sabonete anti-pulgas, talcos, coleiras, pipetas, spray ou até mesmo comprimidos. Entenda cada um deles:


Shampoo e sabonete
– eles matam as pulgas enquanto estiverem em contato com o produto, durante o banho. Mas é importante ficar atento para que o bichinho não se lamba neste momento.

Talcos – é de fácil aplicação e ajuda a eliminar as pulgas já existentes no animal.

Coleiras anti-pulgas – além de matarem as pulgas, elas têm um efeito prolongado de prevenção que pode durar de 3 a 7 meses, a depender da marca. Mas é importante não deixar o bichinho molhá-las, pois diminui o tempo de ação.

Pipetas – funcionam muito bem na eliminação e prevenção de pulgas. Sua aplicação deverá ser realizada diretamente na pele, por isso é importante afastar os pelos. O local mais indicado é a nuca, pois o cachorro não conseguirá lamber depois. Mas filhotes com menos de 60 dias ou peso inferior a 1kg não devem receber este tipo de medicamento, pois correm risco de intoxicação.

Spray – também tem a função de eliminar e prevenir o surgimento das pulgas. Sua ação pode durar cerca de 30 a 90 dias. Mas, para isso, precisa ser aplicado em todo o corpo do animal, incluindo as patas, barriga, cabeça (mas muito cuidado com os olhos e boca!).

Comprimidos – sua ação é bastante eficaz, e em algumas horas, podem eliminar as pulgas do animal. Pode ser uma importante opção para os animais que estejam com a pele irritada, já que não haverá o contato direto com a derme. Para uma melhor aceitação, é possível dar o comprimido em conjunto com alimentos.

Mas saiba que nada adiantará utilizá-los se o ambiente onde eles vivem também não for desinfestado! Por isso, utilize o aspirador de pó no chão, carpetes, móveis, almofadas, sofás, enfim, em todos os cômodos que o animal frequentar. Também utilize água bem quente para lavar todas as roupas em que o animal tenha estado em contato (tanto as suas, quanto as dele). E, se perceber que esta é uma infestação mais grave, procure uma empresa especializada.

Os produtos utilizados para tratar e prevenir o surgimento de pulgas em cães e gatos são diferentes. Converse com o veterinário e entenda qual a melhor opção para o seu bichinho de estimação.

 

Texto por Tatiane Mota