A asma não é um problema exclusivo dos humanos. A doença também pode se desenvolver em cães e gatos, sendo mais comum na segunda espécie citada. A dificuldade em respirar acontece quando os brônquios – estrutura responsável por levar o ar da traqueia aos pulmões – são prejudicados.

A asma felina possui diversos níveis, podendo ser bem leve ou muito grave, que é quando o animal necessita de auxílio para respirar. No caso dos felinos, o problema se desenvolve, principalmente, em decorrência de uma bronquite alérgica – que é adquirida através de uma alergia do pet a algo.

 

Coisas que podem causar alergia em gatos: 

  • Exposição ao fumo do tabaco
  • Areia da caixinha de necessidades
  • Fumo a lenha
  • Mofo e ácaros
  • Sprays e aromatizantes de ambiente

 

Sintomas de asma felina em gatos: 

  • Tosse que não passa
  • Respiração rápida
  • Dificuldade em respirar
  • Barulho ao inspirar e expirar

Para confirmar o problema, é necessário realizar uma radiografia do tórax. Se os brônquios estiverem mais visíveis, pode ser que o pet tenha desenvolvido asma felina. Leve-o ao veterinário assim que perceber os sintomas.

 

Tratamento para asma felina: 

  • Broncodilatadores – esse tipo de remédio ajuda na respiração porque aumenta a capacidade dos brônquios de transportarem oxigênio para os pulmões do bichano.
  • Corticoides – como a alergia é um processo inflamatório, esse medicamento vai diminuir a inflamação nos pulmões do gato facilitando a entrada e saída de ar.

Para evitar que o problema se agrave, procure sempre utilizar produtos seguros para animais, além de manter a higiene do pet e do ambiente em dia. Em gatos idosos, a asma pode ser fatal se não tratada da maneira correta.

Fonte: IG