Como você cuida da pele do seu pet nas temporadas de verão? Se você não tem cuidados adicionais, é bom ficar atento e adotar atitudes preventivas, já que o cachorro pode ter câncer de pele.

Em uma época em que todos fazem questão de usar protetor solar para prevenir o envelhecimento precoce e, principalmente, o câncer, os bichinhos de estimação não devem ficar de fora. O câncer de pele é muito frequente em cães e gatos, e a prevenção é fundamental para garantir a saúde e a longevidade dos animais.

Assim como os humanos, geralmente os pets de pelagem branca são os mais propícios a desenvolverem esse tipo de doença. Boxer, Dogo Argentino, Pit Bull e Bull Terrier são as raças com maiores tendências ao câncer de pele. Isso não quer dizer que outras raças e cores não precisem de atenção. Independente das características físicas, o protetor solar animal deve ser utilizado sempre.

 

Prevenção

Apenas uma marca fabrica o filtro solar veterinário: a Pet Society. É recomendável o uso diário do FP 30. Regiões com menos pelos – como borda da orelha, nariz, abdômen, axilas, parte de dentro dos braços e pernas, bolsa escrotal e vulva – merecem maior atenção. Outra dica essencial é evitar o sol naqueles períodos de maior intensidade do dia, entre 10 e 16 horas.

Pele vermelha com escamas, aparecimento de nódulos avermelhados que podem sangrar, espessamento da pele e lesões em áreas não pigmentadas significa que o cachorro pode ter câncer de pele. Além disso, o animal costuma a lamber o nódulo o tempo todo.

Para conferir mais informações sobre a doença, clique aqui.

Fonte: HV/UFG