Gatos e cachorros são os pets mais comuns nas casas dos brasileiros. Agora, será que é possível ter ambos em um mesmo ambiente? Afinal, quando pensamos nesses dois animais juntos já nos vem à mente brigas, dificuldade para se relacionar…

Bem, não podemos garantir que todos os cachorros aceitarão gatos, e vice e versa. Mas é possível afirmar que essa relação pode sim dar certo, e a participação do tutor será de extrema importância para que ela aconteça de forma saudável e amorosa.

Embora sejam de espécies completamente distintas, cães e gatos podem ter comportamentos parecidos quanto ao instinto de caça e de demarcação territorial. Resumindo, ambos querem sentir que são “os donos do pedaço”, e é aí que os problemas podem começar.Gato e cachorro juntos

A maneira mais fácil de fazê-los conviver é tê-los juntos desde filhotinhos. Assim, desde pequenos vão descobrindo os comportamentos naturais de cada um, e por isso aceitam mais facilmente as diferenças.

Agora, se o cão já está na casa quando o gatinho chega, será muito importante apresentar o felino aos pouquinhos. O cachorro se relaciona essencialmente pelo olfato, então deixe que ele sinta o cheiro do gato, e assim o conheça de perto. Lembre-se de não voltar toda a sua atenção apenas para o novo membro da família, pois o cão pode ficar enciumado. Sempre que perceber a aceitação para com o gatinho e o bom relacionamento entre ambos, ofereça uma recompensa. Cachorros adoram elogios!

Se a situação for oposta a essa, ou seja, o gato já estava no ambiente e um cão será apresentado, também será necessário que o bichano o conheça aos poucos. Quando algo diferente acontece, é muito comum que os gatinhos se escondam. Se ele fizer isso ao ver o cachorrinho, não force a situação! Deixe que tudo flua da forma mais natural possível.

Não existe um tempo certo, um prazo para que cães e gatos passem a ser grandes amigos. A adaptação pode ser rápida, a depender do comportamento do pet. Mas ela também pode não ser, tornando a paciência sua melhor aliada. Existem profissionais especializados em comportamento animal que podem te ajudar. E, claro, converse com seu veterinário para entender um pouco melhor sobre o novo pet que pretende adquirir.

Tenha calma, que tudo dará certo!

Importante! Se você optar por ter os dois animais em casa, será necessário propiciar um espaço próprio para cada um. Eles precisam ter seu ambiente de descanso, caso sintam a necessidade de ficarem “sozinhos”. A alimentação é totalmente diferente, e por isso os potinhos de comida não podem ficar juntos. E, claro, sempre cuidar da higiene do local, para que não se contaminem.

Texto por Tatiane Mota