Para festejar o final de um campeonato de futebol ou a chegada de um novo ano, em vários países é parte da cultura que rojões e até mesmo bombas sejam estourados. Diferentes cores fazem um visual lindo, mas o barulho pode ser muito assustador para alguns cachorros e gerar muita preocupação aos donos também.

fogos-e-cachorro

Algumas das explicações para isso é a audição do animal, muito mais sensível que a nossa. Eles captam sons com uma frequência mais alta e até mesmo barulhos à longa distância. Além disso, interpretam a situação como “fora do habitual” e se sentem ameaçados.

Dentre os sinais de ansiedade que os cães apresentam estão tremores, taquicardia (aumento da frequência cardíaca), além de chorar e latir muito. Neste momento, eles tendem a sair correndo, procurando algum lugar para se abrigar. E o dono, claro, ao ver toda essa cena, fica com muita pena e automaticamente já pensa em pegá-lo no colo, fazer carinho…Mas isso é completamente errado! Afinal, se ele for acolhido, achará que toda aquela situação é realmente perigosa.

Algumas ações que podem – e devem – ser colocadas em prática durante a queima de fogos são:

* Colocar algum som mais alto e suportável ao cão no ambiente em que ele está, como uma música ou até mesmo aumentar o volume da televisão;

* Brincar com o cão para desviar a atenção do animal e mostrar que ele não está em perigo;

* Se ele insistir em se esconder, permita que sua caminha fique em local resguardado e abrigada nos locais que ele mais gosta;

* Evite o acesso a locais que podem machucar o animal, em caso de quedas, como piscinas e varandas;

* E, claro, tentar sempre minimizar o barulho fechando janelas e portas.

* Em casos extremos, é possível utilizar algum medicamento ansiolítico, mas somente com indicação de um veterinário.

Por Tatiane Mota