Pois é, cães e gatos também ficam velhinhos. E neste momento, todos os cuidados devem ser intensificados.

A terceira idade chega entre os 7 e 8 anos de idade, a depender da raça e tamanho do animal. Nesta fase já é possível perceber algumas mudanças físicas e de comportamento, como: alguns pelinhos ficam brancos; as brincadeiras e atividades físicas passam a não ser tão intensas; muitas vezes começam a enxergar com certa dificuldade e os dentinhos já não mastigam tão bem a ração de costume.Cachorro velhinho 2

Mas além dessas condições, algumas doenças também podem surgir. E aí vem a importância de um acompanhamento veterinário mais intensivo.

De acordo com a Dra. Márcia, veterinária do Centro de Saúde Animal Jardins, dentre os principais problemas de saúde estão as doenças renais crônicas e cardíacas, artroses e alterações neurológicas e cognitivas – como esquecer onde faz o xixi, por exemplo.

“Também é comum que cães e gatos apresentem doenças endócrinas, como diabetes melitos, hiper ou hipotireoidismo, problemas respiratórios e até mesmo câncer. Por isso, recomenda-se visitas semestrais ao médico veterinário para realização de exames preventivos, o famoso check up para detecção precoce destas enfermidades e estabelecimento do tratamento ideal”, explicou.

E por falar em tratamento, é muito importante ter em mente que, mesmo na terceira idade, é possível sim tratar estas doenças.

“Um pet velhinho jamais deve ser marginalizado, pois são diversas as opções de tratamento atualmente. Mas é importante ter em mente que a longevidade do animal depende dos cuidados preventivos que são oferecidos durante toda a vida. A castração precoce diminui os riscos de tumores de ovários, próstata, testículos e mama. Os cuidados com a saúde bucal evitam a dispersão de bactérias que podem se acumular nos rins e coração, levando às doenças já citadas. A alimentação balanceada também ajuda não só a manter o peso ideal, como também o bom funcionamento do metabolismo ao longo da vida”, alerta a Dra. Márcia.

Dicas!

Ração especial

Se seu pet está velhinho, a melhor opção para uma alimentação fácil e de qualidade é a ração sênior, encontrada em pet shops. Ela apresenta diferenças nos grãos, que são mais aerados ou furados no centro, facilitando a mastigação.

gato velhinhoPasseios e brincadeiras devem continuar

Mesmo que velhinho, é fundamental que o corpo e a mente do animal sejam estimulados. Durante os passeios, procure andar mais lentamente, para que o cão não se canse muito. Continue utilizando os brinquedinhos favoritos, para exercitar a mente do animal – e, claro, deixa-lo bastante feliz.

Carinho e atenção nunca são demais

Procure oferecer um ambiente bem macio e quentinho para que o pet possa descansar da melhor maneira possível. Evite deixar a caminha e os potinhos de água e ração em locais de difícil locomoção, pois é possível que o animal sinta dores ao se movimentar. Respeite, caso o animal não se sinta à vontade para brincadeiras e, claro, dê todo o carinho e amor do mundo!

Se você tem um cachorro ou gato na terceira idade, conte-nos sua experiência!

 

Texto por Tatiane Mota