Se você tem um cachorro de médio ou grande porte, pode ser que já tenha notado algumas falhas de pelos ou até mesmo calos na região dos joelhos, cotovelos e patas. Mas não precisa se assustar, porque na maior parte dos casos, não é nada grave.

Os calos de apoio, também conhecidos por hiperqueratose, surgem devido ao peso do cachorro ou por causa do piso em que o animal convive. Quando eles se deitam, o peso faz com que as pontas dos ossos se atritem com o solo. Então, quanto mais rugoso e duro o piso, maior será o atrito com a pele, levando à perda de pelo e a uma pele mais grossa no local.

Se não houver ferida, é possível hidratar a região com substâncias oleosas ou cremosas, à base de lanolina, ureia, óleo mineral, específicas para os cães. Agora, se perceber que a pele está machucada, apresentando rachaduras, sangue ou pus, feridas essas conhecidas como escara de decúbito, pode ser que seja necessário realizar o tratamento com medicamentos anti-inflamatórios e/ou antibióticos.

Para evitar que este tipo de situação aconteça:

  • Evite que seu pet durma em um piso muito duro. Hoje, existem caminhas adequadas para ele. Forrar o piso com um tapete bem macio ou colchonete também é opção;
  • Cuide muito bem da alimentação de seu cãozinho, pois o sobrepeso pode propiciar essa situação em cães de pequeno porte, inclusive;
  • Vale lembrar que durante a gestação, por ficarem muito tempo em repouso e deitadinhas, as cadelas também têm grandes chances de apresentar os calos de apoio.

Importante! A qualquer sinal diferente no corpo do seu cãozinho, procure o veterinário. Apenas ele poderá diagnosticar corretamente e indicar a melhor opção terapêutica.

 

Texto por Tatiane Mota