Cuidar da saúde do pet e certificar-se de que está tudo bem é uma tarefa cotidiana. Mas, já que estamos no meio do Outubro Rosa, é importante reforçar algumas informações sobre o câncer de mama em cachorros e gatos. Em nosso Instagram (@csajardins), às quintas-feiras, você também pode acompanhar algumas dicas sobre o tema nos stories. Não deixe de nos seguir!

Os tumores de mama correspondem a 53% de todos os casos de câncer em cadelas e 17% em gatas. Fêmeas acima dos oito anos são mais propensas a desenvolverem a doença – sendo que 50% dos tumores de mama nas cadelas são malignos, nas gatas esse número chega a 86%.

Apesar de não existirem fatores pontuais responsáveis pelo aparecimento do câncer de mama em pets e nem atitudes específicas para evitá-lo, é possível tomar algumas medidas para diminuir os riscos de desenvolvimento do tumor. A castração é a mais eficiente delas e o Dr. Lucas Rodrigues, oncologista do Centro de Saúde Animal Jardins, recomenda que o procedimento seja feito antes do segundo cio.

Diagnóstico do câncer de mama em cadelas e gatas 

Existe um procedimento muito simples para diagnosticar a doença: realizar massagem e palpação das mamas para identificar os nódulos. Se durante o procedimento qualquer sinal diferente for percebido, corra para o veterinário. A existência do tumor só poderá ser confirmada através do exame de citologia ou histopatológico – por isso, é importante também realizar check-ups regulares.

Receber o diagnóstico não é o fim do mundo 

A oncologia veterinária vem apresentando avanços ao longo das últimas décadas e, atualmente, é possível encontrar formas que vão além da cirurgia para o tratamento do câncer em pets. Clique aqui e saiba mais.

Quanto antes diagnosticado, maior a chance de cura. Por isso, o tratamento a ser escolhido e a resposta que ele pode trazer dependem do tipo e estágio da doença. Cada caso deve ser estudado por um profissional especializado no assunto.