A palavra câncer assusta. E assusta muito. Afinal, as pessoas ainda associam a doença à morte. Mas saiba que com o avanço da medicina isso mudou, e hoje existem tratamentos que possibilitam excelentes resultados e até mesmo a cura para cães e gatos que apresentarem a doença.

A Dra. Simone Crestoni Fernandes, veterinária oncologista do Centro de Saúde Animal Jardins tirou todas as nossas dúvidas! Se você tiver alguma pergunta, não deixe de nos enviar um comentário.

****

Por que nos últimos tempos o número de cães e gatos com câncer aumentou?

Dra. Simone – Com o avanço da medicina veterinária, como com o emprego de vacinas para prevenção de doenças, ou com rações balanceadas para proporcionar uma nutrição de excelência, os animais têm vivido mais. O câncer costuma ser uma doença de animais mais idosos, e como eles têm vivido mais por esses motivos citados, a frequência do câncer também acabou aumentando. Imagem de gato - matéria câncer

O que causa o câncer nestes pets?

Dra. Simone – Assim como ocorre nos seres humanos, o câncer é causado principalmente por alteração do material genético da célula, que pode ocorrer de maneira hereditária (ou seja, o pai ou a mãe possuem essa alteração que é herdada aos filhos), ou pode ocorrer por outras causas, como por exemplo exposição frequente ao sol. Uma particularidade dos felinos é a infecção por dois vírus muito comuns: FIV (vírus da imunodeficiência felina) e FeLV (vírus da leucemia felina).  Sabemos que a infecção desses vírus pode causar linfoma, por exemplo.

E quais são os principais sinais apresentados?

Dra. Simone – O dono deve ficar atento ao surgimento de nódulos e em feridas que não cicatrizam. Inflamações persistentes e sem resposta à medicação prescrita, perda de peso sem motivo aparente e alterações no comportamento, como cansaço, prostração, falta de apetite, vômitos, diarreia e odores fortes também são indícios de que o animal pode estar com um câncer. Lembrando que os gatos costumam se isolar quando não se sentem bem, o que também pode ser um sinal.

Cachorro - matéria câncerO diagnóstico precoce faz a diferença?

Dra. Simone – Sem sombras de dúvidas. Quanto antes detectar a doença, mas eficaz será o tratamento e maior será a chance de cura. Assim que perceber um comportamento diferente, leve o animal ao veterinário. Serão feitos exames de sangue, de imagem e biópsia que ajudaram a constatar o câncer e seu estadiamento (ver o quanto a doença evoluiu). Nos gatos, faremos também um rastreamento dos vírus FIV e FeLv, que são muito importantes para análise como o paciente irá responder ao tratamento.

Como é realizado o tratamento?

Dra. Simone – O tratamento para cães e gatos é bastante similar ao aplicado em humanos. Utilizamos cirurgia, quimioterapia, crioterapia, eletroquimioterapia. Em alguns países a radioterapia também é opção, e muito em breve teremos aqui no Brasil.

Câncer tem cura?

Dra. Simone – Sim, mas tudo irá depender do tipo de câncer diagnosticado e em qual estágio da doença se iniciou o tratamento. Por isso é de extrema necessidade um diagnóstico precoce. E sem falar na prevenção, que também é fundamental. Por exemplo, animais brancos, com pelos curtos, se usarem protetor solar e não forem expostos ao sol nos horários prejudiciais, poderão prevenir o câncer de pele. Já é comprovado que os tumores de mama podem ser evitados quando a fêmea é castrada precocemente.  Cachorro e gato - matéria câncer

Então já sabe! Além de dar muito carinho e amor ao seu bichinho de estimação, também é fundamental que você esteja sempre atento ao seu comportamento. Se notar qualquer mudança, procure um veterinário. Apenas este profissional poderá identificar o câncer e iniciar o quanto antes o tratamento que possibilitará a cura e qualidade de vida do animal.

Texto por Tatiane Mota