O fato do seu filhote ter se tornado um cão adulto não significa que a atenção com ele deve ser reduzida. Os cuidados devem ser adaptados às características de cada etapa da vida, esses são válidos também para quem adota um bichinho já nessa fase.

O começo da idade adulta de um cão varia de acordo com o porte do animal: 9 a 12 meses para cães pequenos; 12 meses para cães médios; 15 para cães grandes; e dois anos para os gigantes. Veja abaixo algumas orientações de como encarar o desenvolvimento do seu pet.

 

Treinamento

A socialização e educação de um cão deve durar por toda a vida. E, da mesma forma que um cão adulto pode ser mais antissocial do que um filhote, ele também aprende mais rápido e possui mais capacidade de assimilar o que é passado.

 

Exercício

Independentemente da idade, todo bichinho precisa fazer um pouco de exercício no dia. Pode ser uma caminhada ou, até mesmo, correr e brincar dentro de casa.

O sedentarismo contribui para o aparecimento de doenças – devido, principalmente, ao aumento do peso – e mudanças comportamentais. O cão adulto que não se exercita o suficiente, tende a se tornar inquieto e nervoso.

 

Banho e escovação do pelo

Na hora do banho é importante garantir que seja utilizado apenas produtos especiais para cães. Os xampus de pessoas foram desenvolvidos para um pH diferente e podem causar alergias no pet. Durante a prática, evite também que entre água nos ouvidos e sabão nos olhos do animal.

Se o tipo de pelagem requer escovação, não deixe de fazê-la. O descuido com o pelo cria nós que, com o tempo, favorecem infecções de pele e a proliferação de parasitas externos. 

 

Saúde e nutrição do cão adulto

Mesmo que o seu cachorrinho se mostre saudável, é importante observá-lo periodicamente e com atenção. O aparecimento de cistos é comum em cães adultos. Diante de qualquer indício diferente, corra para o veterinário. Confira alguns sinais de alerta:

  • Perda de apetite;
  • Rejeição de água;
  • Aumento ou diminuição súbita ou progressiva de peso;
  • Lentidão ou rejeição para brincar ou fazer exercícios;
  • Micções frequentes ou escassas;
  • Fezes com sangue ou com aspecto líquido;
  • Diarreia;
  • Vômitos persistentes;
  • Salivação em excesso;
  • Respiração irregular;
  • Pelagem opaca (sem brilho).

Não deixe de cumprir com o calendário de vacinas. Um cão adulto deve se proteger todos os anos, durante toda a vida. Além disso, é possível aproveitar esse momento para visitar o veterinário e checar o estado de saúde do pet.

Outros pontos que precisam de atenção na vida adulta é o controle de parasitas externos – principalmente as pulgas – e a alimentação, que deve ser administrada duas vezes ao dia durante toda a vida adulta do cão.

Lembre-se: o mais importante de tudo é amá-lo independente de ser um filhote, um adulto jovem ou um idoso.

Fonte: Meus Animais