Faltam poucos dias para o feriado mais esperado do ano, seja pela folia ou pelos dias de descanso. Se você faz parte da primeira turma, sabe que a festividade é para todos: crianças, idosos, adolescentes, namorados, entre outros. Mas, espera. Não está faltando ninguém? Os bichinhos de estimação também merecem curtir e se você é daqueles que não desgruda do seu cãozinho nem na hora da folia, esse texto vai te mostrar os cuidados necessários para passar o carnaval com o pet.

Respeite a personalidade do animal

Não são todos os animais que gostam de agitação. Caso o seu pet seja mais tímido e calmo, é bem provável que ele fique assustado e desconfortável no meio da multidão – em casos mais graves, ele pode apresentar até mesmo uma reação agressiva ou fugir. Leve-o apenas se tiver perfil sociável, tranquilo e acostumado com bastante movimento. 

Pet Hotel: se ele não se mostrar animado para a folia, você pode curtir sem se preocupar. Um pet hotel é uma boa para que ele não fique sozinho e ainda receba atenção especializada, saiba mais aqui.

 

No meio da multidão…

Se já é muito fácil se perder dos amigos, imagina do bichinho. Por isso, só enfrente um carnaval pet com plaquinha de identificação. É importante ter o nome do pet e os dados pessoais do tutor, como nome, telefone, endereço e e-mail.

 

Carnaval pet? Só se for de coleira e guia!

Por mais que o seu animal seja obediente e não saia do seu lado, jamais caia na folia sem coleira e guia. A chance de o pet fugir, se perder ou correr riscos é alta quando não está preso.

 

Fantasia… será?

Muitas pessoas gostam de se fantasiar no carnaval e os bichinhos não escapam dessa tendência. No entanto, é importante sempre respeitá-los. Se ele não é adepto das roupinhas, não force. Caso contrário, não tem problema nenhum em escolher um ‘look’ bem divertido para ele. Lembre-se de apostar em peças frescas e confortáveis. Glitter e tintas não são permitidos, pois podem gerar uma reação alérgica.

 

Olha, olha, olha, olha a água mineral!

No carnaval pet, além de ser a única bebida possível, água nunca é demais. A época de festividades já costuma ser bem quente e, no meio de uma multidão, a hidratação se faz mais do que necessária – isso também serve para pessoas. Por isso, ande com o vasilhame do pet e ofereça água potável sempre que possível, melhor ainda se essa água vier de casa (a dica é levar algumas garrafinhas geladas em uma bolsa térmica, envolvidas por gelo).

 

Ô lá lá ô!

Como falamos acima, o calor é muito. Tanto nos bloquinhos quanto em dias normais, é preciso tomar cuidado para que o pet não queime as patinhas no asfalto. Outra preocupação é a hipertermia, que é a elevação da temperatura do corpo do animal, podendo acarretar na disfunção de órgãos e até levar à morte. Por isso, todo cuidado é pouco. Se você não abre mão de curtir o carnaval com o pet, a orientação é evitar sair em horários de temperaturas mais elevadas, principalmente entre 12h e 15h.

 

Não dá para fugir, mas dá para evitar

Os animais, principalmente os cães, possuem audição apurada. E, como nos bloquinhos e trios as músicas são tocadas em volume alto, isso pode causar um incômodo para o pet. Então, mantenha-o longe das caixas de som, evitando que ele fique com medo do barulho.

 

Vacinação

Estar saudável é sinônimo de diversão garantida. É importante que o bichinho esteja com as vacinas em dia para não contrair doenças.

 

Carnaval próprio para pets é uma boa

Não é regra, mas a recomendação é que procure eventos próprios para animais. Um ambiente criado só para o carnaval pet pode deixá-lo mais confortável e tranquilo. Muitas cidades promovem festas e desfiles de rua para bichinhos fantasiados, basta procurar qual é mais perto de você e curtir!

 

Fonte: IG e Destak.