O inverno está se aproximando e, na estação mais fria do ano, os cuidados com a saúde do pet devem ser redobrados. Assim como os humanos – principalmente as crianças – os bichinhos precisam de uma atenção maior por parte dos tutores para ficarem livres de algumas doenças, como a cinomose em cães.

O que é?

A cinomose é uma doença grave causada pelo vírus da família Paramyxovirus, que atinge somente cachorros e pode ser fatal. A falta de vacinação dos filhotes e a desatualização dessas vacinas nos cães adultos são os principais fatores de contaminação.

 

Sintomas da cinomose em cães

O problema afeta, principalmente, animais de seis meses para cima e se manifesta como uma conjuntivite ou gripe. Em um primeiro momento, ambos problemas melhoram – muitos tutores, inclusive, tem a impressão de que o animal está curado – e uma semana depois começa o quadro neurológico.

A partir desse quadro, os movimentos do bichinho são afetados, começando com a mioclonia – contrações involuntárias: puxar a perninha e, às vezes, a musculatura do alto da cabeça. Com o avanço da doença, o cachorro começa a desenvolver paralisia. Isso porque o vírus já atingiu o cérebro, provocando um quadro de meningite ou encefalite, que pode evoluir para uma paralisia total e levar à óbito.

 

Transmissão e tratamento

A transmissão pode ocorrer através da secreção dos olhos, nariz ou pela urina, e o período chuvoso também contribui para a disseminação da cinomose em cães.

Nesses casos, o diagnóstico nas fases iniciais é importante. Como a doença é transmitida por vírus, não existem remédios que os ataquem diretamente. Antibióticos atuam contra bactérias e são utilizados durante o tratamento da cinomose para evitar infecções secundárias. Além disso, é receitado vitaminas, imunoestimulantes e, também, alguns antivirais. A ribavirina contribui para diminuir a atividade do vírus, que é eliminado, mas na maioria das vezes deixa sequelas. Por isso, mantenha sempre a caderneta de vacinas do pet atualizada e, para qualquer dúvida, fale com a nossa equipe: (11) 2501-7001.

Fonte: G1