Há quem se renda à fofura que é ter um pet gordinho e rechonchudo, mas saiba que a obesidade em cães e gatos é um assunto que deve ser encarado com seriedade, pois as gordurinhas a mais podem afetar significativamente a saúde do seu amigo.

Gato gordoA obesidade é uma desordem nutricional definida pelo acúmulo excessivo da gordura corporal e que pode resultar em problemas ainda mais sérios, pois afeta várias áreas do corpo como ossos, articulações, órgãos digestivos e órgãos responsáveis pela capacidade de respirar, causando muitas vezes doenças cardíacas, respiratórias, dentre outras que reduzem a vida útil do animal.

É considerado obeso o animal que ultrapasse em 15% o seu peso ideal.

Assim como para seus donos, as principais causas da obesidade em cães e gatos são o sedentarismo e a má alimentação. Os animais de companhia estão cada vez mais adaptados ao nosso cotidiano, adotando hábitos nada saudáveis e que são contra à sua natureza, vivendo em apartamentos, deitados por longos períodos em camas e sofás, sem se exercitar e só comendo um monte de bobagens.

As doenças endócrinas também podem ser responsáveis pela obesidade devido às alterações hormonais, tal como a idade do animal, pois quanto mais velho, mais lento o seu metabolismo. Para se estabelecer o diagnóstico, é necessário levar o seu pet para uma consulta com um médico veterinário, só ele poderá verificar a causa do ganho de peso e traçar o melhor tratamento e dieta para que ele volte ao peso ideal.

Como prevenir é sempre melhor do que remediar, aqui vão algumas dicas para manter seu pet em forma e saudável:

– Dê a dose de ração determinada para a idade e tamanho do animal, de acordo com a embalagem do pacote de ração. Não dê alimentos humanos, além de extremamente calóricos, alguns podem ser muito perigosos para os animais. Leia mais aqui: Alimentos proibidos para o seu pet;

– Evite aquelas comidinhas e petiscos fora de hora;

– A prática de atividades físicas é fundamental para a saúde física e mental do animal, portanto, se o seu pet for um cachorro, leve-o para passear com frequência e descubra que essa pode ser uma atividade muito prazerosa para vocês dois. Já se for um gato caseiro, instale materiais que o force a usar os músculos, deixe a comida em lugares mais altos, fazendo-o caminhar e saltar para conseguir alcançá-la. Espalhe brinquedos pela casa, para que ele se divirta bastante e gaste a sua energia.

Texto por Patrícia Mota