Você ou alguém da família precisa sair, e ao perceber isso seu cão começa a segui-lo, late ou chora ininterruptamente, treme, tenta destruir portas, baba. Na sua ausência, ele faz as necessidades no lugar errado, se lambe excessivamente, não come ou não bebe água. Estas manifestações comportamentais demonstram que seu cãozinho está sofrendo com a ansiedade de separação.

Esta ansiedade tem como origem o próprio instinto do cão, que diz que ele deve viver em matilha, pois isso garantirá sua sobrevivência. Para ele, vocês são um grupo, e quando você sai e o deixa sozinho, a sensação que seu cão tem é que sua sobrevivência pode estar ameaçada.

Apesar de ser um problema muito comum, sem querer algumas pessoas acabam por piorar a situação ao se despedir do cão efusivamente, fazendo uma “grande cena” antes de sair.

Para lidar com a ansiedade de separação do seu amigo canino, é necessário ensiná-lo a ser mais independente. Os estímulos certos podem ajudar o seu cão a ficar calmo e se divertir mesmo na sua ausência.

Por exemplo, você pode trocar as longas despedidas por petiscos toda vez que você tiver prestes a sair, ou então dar um brinquedo que seu cão goste e retirar da posse dele assim que chegar. Dessa forma, você fará com que ele associe a sua saída a uma recompensa.

Deixar objetos com o seu cheiro também pode ser uma opção se você pretende ficar muito tempo fora, pois isso faz com que ele se sinta mais seguro.

Considere também a possibilidade de ter outro cão para que assim seu amigo se sinta menos sozinho durante a sua ausência, afinal, eles irão se divertir bastante juntos.

Um especialista em comportamento canino também pode ser essencial e muito eficiente na hora de melhorar a qualidade de vida do seu cão, principalmente se o grau de ansiedade apresentado for muito alto.

 

Texto por Patrícia Mota