Para nós, amantes de bichinhos, se deparar com um filhote é um momento especial em meio à correria do dia a dia. Mas se o animal estiver precisando de cuidados, o que fazer? É comum fêmeas em situação de rua morrerem após o parto e, infelizmente, o abandono de animais ainda existe, sendo filhotinhos e gatas grávidas as principais vítimas.

Um filhote de gato abandonado necessita de cuidados diferentes de um gato adulto, principalmente na alimentação e no manuseio. Caso a situação descrita acima aconteça com você, é importante estar pronto para o resgate. Por isso, confira as orientações abaixo.

 

Temperatura

Como qualquer mamífero recém-nascido, é importante mantê-lo aquecido. Paninhos, mantinhas e bolsa de água quente – você também pode substituir por garrafas pet com água – ajudam bastante. Fique atento à temperatura: o ideal é entre 37,5 e 39°C. Água muito quente ou muito fria pode trazer problemas.

É bacana também providenciar um local “cercado” para manter o filhote de gato abandonado nos primeiros dias. Afinal, por ser muito frágil, qualquer movimento pode ser perigoso. Uma caixa de papelão é uma boa!

 

Leite de vaca não é indicado

Na falta da mãe, o filhote de gato abandonado vai precisar de suplementos alimentares. O mais indicado é buscar por leite próprio para recém-nascidos, facilmente encontrado em pet shops. Leite de vaca não é indicado, pois tanto cães quanto gatos costumam ser intolerantes à lactose. Porém, se não tiver outra opção, dilua o leite em água morna, em uma proporção meio a meio. O importante é alimentar o bichinho. Para isso, coloque a bebida em temperatura ambiente numa vasilha limpa e deixe próximo do animal. Nos primeiros dias ele pode não conseguir ingerir o alimento sozinho, nesse caso, utilize uma mamadeira com bico para recém-nascido ou uma própria para pets – uma seringa também pode ajudar.

 

Todo mundo merece uma cama bem macia

A caixa de papelão, como citada acima, tem essa finalidade. Forre com jornais, manta ou toalha e troque regularmente – bebês se sujam muito. Uma dica legal é colocar junto do filhote um bicho de pelúcia que, além de deixa-lo mais quentinho, supre a falta da mãe e da ninhada.

 

Higiene

Limpe o bichano com um paninho macio ou algodão embebido em solução de álcool diluído em água morna, na proporção meio a meio. Tal cuidado não precisa ser feito diariamente. Ao realizar o procedimento, aproveite para massagear a barriga do animal, isso vai estimular à ida “ao banheiro”.

 

Hora da comida

Por volta de 15 a 20 dias, já é possível oferecer ração com água morna (tipo uma papinha). Mantenha o leite, a mudança deve ser gradual.

Lembre-se: esses são os cuidados certos que devem ser tomados de imediato, mas a avaliação de um veterinário é fundamental para eliminar qualquer risco. Independente da hora em que acontecer o encontro com seu novo melhor amigo/amigo temporário, o Hospital 24h do Centro de Saúde Animal Jardins estará à disposição para atendimento clínico e emergencial, hospitalização, radiografia, laboratório, cirurgia geral e ortopédica.

Fonte: Portal R7