Estamos em pleno Outubro Rosa, movimento internacional que visa alertar e prevenir mulheres de todo o mundo quanto ao câncer de mama. Mas essa preocupação não se restringe apenas aos humanos, sabia? Infelizmente, cães e gatos também podem apresentar a doença.

foto-outubro-rosaO aparecimento desta neoplasia está relacionado com a produção de hormônios femininos, como o estrógeno e a progesterona. O carcinoma é o tipo de câncer mamário mais comum. Hoje, este tipo de tumor corresponde a 42% dos tipos de câncer mais comuns entre as cadelas. Já para as gatas, este número é um pouco mais baixo, representando 17%. Porém, nas cachorrinhas, grande parte dos tumores não são malignos. Para as gatas, na maior parte das vezes é.

Assim como nas mulheres, a prevenção é o melhor caminho. A castração diminui drasticamente as chances de um tumor aparecer. Apalpar as mamas dos pets também é importante. Faça um carinho na barriguinha e aproveite para analisar se não há nenhum aumento de volume ou surgimento de carocinhos. Lembrando que nada substitui as visitas periódicas ao veterinário. Elas são essenciais!

Mas e se minha gatinha ou cachorrinha estiver com câncer de mama?

Sem sombra de dúvidas, essa é uma notícia que assusta. Mas não precisa ter medo e muito menos entrar em pânico. Hoje os tratamentos proporcionam uma vida normal e com qualidade ao bichinho, podendo chegar à cura.

Os tratamentos utilizados são cirurgia e quimioterapia (uma combinação de medicamentos que visam destruir as células doentes), ou uma combinação de ambos. Os efeitos colaterais não costumam ser tão pesados, como geralmente vemos nos humanos. Mas é possível que o animal apresente queda de pelos e vômitos.

Então já sabe: fique sempre atento e qualquer mudança no corpo do animal, procure um veterinário!

Por Tatiane Mota