Não é necessário ter a companhia de um cãozinho para saber o quanto o passeio é importante para esses animais. Mas muitos tutores insistem em acreditar que a atividade é só um capricho, muitas vezes por possuírem uma área em casa para o pet ou por viverem em apartamento com um animal de pequeno porte.

Passear com o cachorro traz benefícios não só para a saúde física do animal, mas também para a saúde mental. O cão é um animal social que conhece o mundo através do olfato. Portanto, sair à rua significa ter acesso a inúmeros cheiros que irão estimulá-lo mentalmente, evitando o tédio de uma vida confinada entre paredes.

Imagine viver sem qualquer oportunidade de ir a parques, restaurantes, cinema, entre outras opções de lazer. Parece triste, não é mesmo? Os cães também preferem uma rotina mais ativa. Além disso, andar, cheirar, conviver com outros cachorros e pessoas faz parte da natureza desses animais. Esse contato cria um pet mais sociável e menos medroso, já familiarizado com diversos barulhos.

 

Passear com o cachorro = gasto de energia

Os passeios rotineiros auxiliam o pet a gastar energia, tornando-o menos sedentário. Durante a caminhada, o cachorro está praticando atividade física, o que traz benefícios fisiológicos e evita, por exemplo, a obesidade e suas consequências.

Podemos afirmar que um cachorro que vive em um quintal enorme, mas não é incentivado a se mexer, não se exercita tanto quanto um que mora em apartamento e é levado para passear todos os dias. 

 

Cuidados

Na hora de passear com o cachorro é preciso respeitá-lo – sua condição e seus limites físicos. Só faça passeios vigorosos quando o pet já tiver condicionamento físico suficiente para aguentar caminhadas mais longas e rápidas. Assim como ocorre com humanos, cães com perfis sedentários precisarão de algum tempo para adquirir resistência e aguentar passeios mais longos.

De início, invista em passeios curtos e menos intensos, com aumento gradual do esforço. Na dúvida, é sempre bom ter a recomendação do veterinário de sua confiança.

 

Dicas de segurança

Para garantir a segurança durante o passeio, é importante que o pet seja conduzido na guia e na coleira – essa deve conter uma placa de identificação com: nome do animal, nome do tutor e telefone para contato (venha conhecer nossos modelos).  

 

Não tem tempo de passear com o cachorro?

Agora que você já sabe da importância do passeio, é só colocá-lo em prática, certo? Não. Sabemos que muitos tutores não possuem tempo para essa atividade ou condições de exercê-la. Por isso, existem os passeadores de cães: pessoas que se dão muito bem com peludos e podem fazer essa tarefa para você, no horário que preferir e próximo da sua residência. Procure por indicações desses profissionais no Centro de Saúde Animal Jardins, que há mais de 40 anos cuida dos melhores amigos – clique aqui para entrar em contato.

Pet Hotel também pode ser uma solução. Geralmente esses lugares proporcionam exercícios, atividades recreativas e interação para seus hóspedes, além de fornecerem companhia enquanto o tutor está ausente.

Fonte: IG