Pegar estrada é sempre um momento muito divertido. Se o pet estiver junto, mais ainda! Porém, é importante estar atento a alguns cuidados necessários, para que o passeio também seja gostoso e inesquecível para o bichinho de estimação.

Neste artigo falaremos especificamente sobre as viagens de carro. Informações sobre viagens de avião ficam para nosso próximo post, combinado?

Nem todo animal está acostumado a passear de carro. Se este é o seu caso, para evitar que o pet fique estressado, uma boa dica é realizar passeios curtos dias antes da viagem e ao final premiá-lo com petiscos. Aos poucos ele irá se acostumar com a nova situação, e durante o trajeto mais longo, conseguirá curtir o momento. Ginger cat lay on a suitcase

É sempre muito importante ficar atento às temperaturas do veículo. Em dias de muito calor, ligar o ar condicionado ou deixar
os vidros abertos é essencial, evitando estresse e desconforto para o animal. Lembrando que cabeça para fora da janela para tomar um ventinho – embora seja muito prazeroso para o pet – pode ressecar a córnea e causar inflamações nos ouvidos.

A segurança do motorista, passageiro e animal é extremamente importante. O Código de Trânsito Brasileiro não específica se o animal precisa estar de cinto, cadeirinha especial ou dentro de uma caixa de transporte, mas essas são as melhores opções para que a viagem seja mais segura e confortável. Importante! As caixas de transporte devem ter um tamanho adequado para o animal – ela é bastante indicada para gatos, que se sentem mais seguros assim. Estes materiais são encontrados em pet shops.

A condução de animais nas partes externas do veículo (caçamba ou até mesmo janelas) é considerada infração grave de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro. Já os motoristas que carregam o animal à sua esquerda, entre os braços e pernas, cometem uma infração média.

Em viagens longas, procure fazer algumas pausas, para que o animal possa esticar as patinhas, e até mesmo fazer suas
necessidades fisiológicas. Dê água, de preferência geladinha, mas sem excessos, para que não cause enjoo e vômitos ao continuar o trajeto. A alimentação também deve ser reduzida, para que este tipo de mal-estar não estrague a curtição.

A depender da região em que vai se levar o animal, converse com o veterinário para saber se há a necessidade de alguma vacina em especial. E claro, em locais diferentes, fique sempre próximo ao seu pet, para que nada de errado aconteça!

 

Texto por Tatiane Mota