Quem é dono de gato, certamente já se assustou ao deparar-se com ele trazendo para dentro de casa um rato morto, ou então ao simplesmente encontrar essa “surpresa” não muito agradável pela sala, sofá, ou quem sabe até em cima da sua cama. Mas por que gatos trazem animais mortos para casa?

Gato caçandoSabemos que gatos são grandes caçadores, e embora domesticados, a caça continua fazendo parte dos seus instintos. Ao trazer animais mortos para seus donos, eles estão fazendo nada além daquilo que aprenderam com suas mães quando ainda filhotes, que os ajudava a conquistar seu alimento quando ainda não era possível que fizessem isso sozinhos.

Um gato é muito observador com o seu dono, e ao notar que não somos predadores tão espertos, como um ato de amor e proteção, eles caçam e nos oferecem esse “presente”.

Apesar de ser uma demonstração de afeto, este tipo de comportamento pode causar mais problemas do que apenas sustos, afinal, pode causar a exposição da família e do próprio felino à doenças como toxoplasmose, ou uma zoonose grave que afete seres humanos.

Por isso, separamos algumas dicas que podem ajudar com que você desencoraje seu gatinho a trazer presas mortas para dentro de casa sem que seja necessário brigar, afinal, você não gostaria que alguém brigasse com você ao levar um presente para essa pessoa, não é mesmo?

Confira:

– Manter o gato somente dentro de casa, oferecendo uma boa estrutura para que ele possa se distrair e brincar, é uma opção. Lembre-se: diferentemente dos cachorros, gatos não têm necessidade de passear.

– Caso você tenha um quintal, ou ainda queira preservar o instinto do seu felino, outra opção é fixar um sino na coleira. Isso irá alertar sua presa e dificultará que seu gato a alcance, prevenindo assim que algum animal morto seja levado para casa.

– Alimente seu gato com a quantidade certa para seu tamanho e peso, indicada no saco de ração. Estar cheio e satisfeito naturalmente irá desencorajá-lo a caçar.

– Adote outro gato. Dessa forma você poderá direcionar a atenção do seu gatinho para outras formas de interação, como brincar com o seu novo amigo.

 

Texto por Patricia Mota