Por mais que sejam oferecidos diversos tipos de proteção aos cães, é possível que determinadas situações inesperadas aconteçam. Machucados profundos, sufocamento e até mesmo uma parada cardíaca são alguns dos casos que precisam de cuidados urgentes. Se o veterinário estiver a poucos minutos da residência, corra para lá! Se não, os primeiros-socorros devem começar o quanto antes.

imagem-primeiros-socorros

Cortes e ferimentos

Quando você observar que seu cão se machucou feio, alguns cuidados importantes deverão ser tomados. Para começar, é preciso lavar o local do ferimento, para ver quão profundo ele foi. Quando não há muito sangramento, é uma boa notícia. Basta lavar com algum antisséptico que tenha em casa e ir para o veterinário, para ver se há a necessidade de levar pontos ou até mesmo tomar algum antibiótico.

Agora se o cão apresentar hemorragia, antes destes procedimentos citados acima, você precisará estancar o sangue. Para isso, aperte a região usando algum pano limpo ou gaze. O gelo também pode ajudar a contrair os vasos sanguíneos. Mas não esqueça que em contato direto com a pele, ele pode queimar. Por isso, proteja a região e coloque o gelo em cima da proteção.

Ainda é possível que se perceba um “levantamento” da pele na região do ferimento, o que causa muita dor ao animal. Pegue um papel insufilm, que também temos em casa, e passe em volta desta região. Logo após, corra para o veterinário!

 Sufocamento

Não são raros os casos em que cães ficam asfixiados, ou seja, sem ar, com os brinquedinhos que tanto amam. Bolinhas e até mesmos os ossinhos com as bolinhas ao lado são alguns dos principais causadores de sufocamento, por isso todo cuidado ainda é pouco.

Ao ter um objeto parado na região das vias aéreas, o cão apresenta alguns sinais. Ele pode começar a andar para trás e tentar tirar com a patinha o que está incomodando. Mas o principal e mais preocupante sinal é quando as gengivas e língua ficam arroxeadas. Isso significa que o ar não está passando.

Neste caso, para tentar salvar a vida do seu pet, antes de correr para o veterinário você pode realizar uma técnica chamada Heimlich Modificado. Nos animais de médio e grande porte, ela consiste em:

  • Pegá-lo no colo, colocando as costas do bichinho em seu peito
  • Levar as mãos abaixo das costelas (no abdômen) e fazer uma pressão rápida e forte, para cima, o suficiente para empurrar pelo tórax o objeto para fora da boca.

Em animais pequenos, essa maneira pode ser mais difícil. Por isso, é possível usar a mesma técnica realizada em bebês: coloque o animal de ponta cabeça e com a mão fechada, dê tapas rápidos e fortes no meio das costas dele. Mas cuidado para não balançar muito o cão e machucar a coluna dele!

Parada cardíaca

Seja pela idade, por medo ou até mesmo por um grande cansaço, o coração do cão pode parar. Ao perceber o desfalecimento do cão, e até mesmo a falta de respiração, você pode agir rapidamente para que os batimentos cardíacos voltem, fazendo uma massagem cardíaca.

Coloque o animal de lado e, independente se do lado esquerdo ou direito, procure levantar a patinha do cão para a lateral do corpinho dele e achar o coração. Coloque as mãos uma em cima da outra na região, estenda os braços e comece a fazer pressão com seu corpo. Como os batimentos cardíacos do cão são mais frequentes que os nossos, faça este movimento 100 vezes, a cada 1 minuto! Em um cachorro de menor porte, ou até mesmo em um filhote, este movimento deve ser feito com os dedos.

Fraturas

Os cães podem fraturar os ossos em diferentes tipos de situação, seja durante uma brincadeira, em um movimento brusco ou até mesmo em um atropelamento. Em casa, a única coisa que pode ser feita é a imobilização da região, utilizando alguma tala dura. Nunca tente colocar o osso no local! Após a imobilização, apenas o veterinário poderá dar continuidade ao tratamento.

Por Tatiane Mota