Todos sabem o quão irritante pode ser uma crise de soluço – para quem sente e para quem ouve – e, assim como nós, os bichanos também podem ser afetados por esses movimentos repentinos e involuntários. Embora o soluço em gatos não seja tão frequente, esses bichinhos também não se sentem confortáveis diante do problema.

Em geral, os gatos costumam se recuperar rapidamente dos soluços. Portanto, a princípio, é aconselhável não intervir e deixar o corpo se recompor de forma natural. Mas ao observar que os soluços se tornam muito intensos ou que o animal apresenta sintomas de desconforto/dificuldade em respirar, é importante ajudá-los a controlar essa situação.

O melhor a ser feito ao perceber que o seu gato apresenta soluços com uma certa frequência ou intensidade é leva-lo no veterinário de confiança.

Continue lendo esse artigo do Perito Animal para saber mais sobre o tema.

 

Por que os gatos têm soluço?

O som inspiratório e a sensação característica do soluço são resultado de dois fenômenos orgânicos naturais que ocorrem involuntariamente. A base do soluço (ou a sua primeira parte) acontece a partir de um movimento involuntário do diafragma, que consiste em uma contração repentina e intermitente. Essa contração involuntária gera um fechamento temporário e muito rápido da epiglote, que produz o som característico de “hip”.

Embora as crises de soluço apareçam abruptamente, sem podermos identificar uma causa específica, alguns comportamentos podem favorecer o seu desenvolvimento. Nos gatos, as causas mais frequentes do soluço são:

  • Comer ou beber muito rápido;
  • Compulsão ou consumo excessivo de alimentos;
  • Formação de bolas de pelo no trato gastrointestinal;
  • Reações alérgicas;
  • Hiperatividade, ansiedade, estresse ou excitação excessiva;
  • Distúrbios metabólicos – como hipertireoidismo e hipotireoidismo – que podem levar a hiperexcitação, hiperatividade ou aumento do estresse;
  • Exposição ao frio.

As duas primeiras provocam soluço logo após a refeição.

 

E o que fazer?

Como já mencionado, o soluço em gatos é geralmente inofensivo e dura alguns segundos, já que o organismo está preparado para se recompor naturalmente. Então, quase sempre é melhor não intervir e observar cuidadosamente para garantir que o animal se recupere de forma satisfatória.

Ao notar que o bichinho tem alguma dificuldade para se recuperar, ou que o soluço tem ocorrido com frequência, o ideal é ir à clínica veterinária.

Ocasionalmente, os tutores podem ter alguma dificuldade em diferenciar o soluço dos ruídos que o gato produz por ter um corpo estranho preso em sua garganta. Por isso, antes de usar qualquer método caseiro, é melhor ter a atenção especializada de um veterinário.

No entanto, é recomendável que todos tutores adotem algumas medidas preventivas para evitar que seus gatos sofram um ataque de soluço. Confira as dicas abaixo.

 

Como evitar soluço em gatos 

  • Evitar que a água e os alimentos sejam engolidos rapidamente:comer muito rápido é um mau hábito frequente em cães, mas os gatos também podem apresentar soluço por esse motivo. Para evitar que isso aconteça, é recomendável oferecer comida e água em recipientes maiores, que reduz o risco de compulsão alimentar e exige maior esforço para alcançar o conteúdo interno. Também é importante estabelecer uma rotina regular na alimentação do felino, poupando-o de períodos de jejum prolongado.
  • Evitar o acúmulo de bolas de pelo no seu trato gastrointestinal: apesar de ser inofensivo, o soluço merece atenção especial quando associado a dificuldade de remoção de pelo do trato gastrointestinal, uma vez que pode causar vômitos, constipação e outros desconfortos digestivos. Manter a escovação do pelo em dia é uma boa dica para evitar o problema!
  • Descartar possíveis alergias: ao perceber que o gato apresenta soluços muito intensos, é aconselhável consultar o seu veterinário de confiança sobre os testes de alergia para gatos. Em muitos bichanos, os soluços podem ser um sintoma de alergia e é importante identificar qual o agente que provoca essa reação.
  • Cuidar com o frio: gatos são sensíveis ao frio. As baixas temperaturas podem prejudicar seriamente a sua saúde, além de causar um quadro de hipotermia. Para evitar soluços, não o exponha a temperaturas baixas e preste atenção no condicionamento da casa.
  • Proporcionar um ambiente positivo: o estresse e os sentimentos negativos são muito prejudiciais para a saúde dos bichanos. Uma criação saudável deve incluir um ambiente positivo, em que o gato se sinta seguro e encontre as condições ideais para o seu desenvolvimento.
  • Fornecer medicamento preventivo adequado:as alergias e os distúrbios metabólicos podem afetar o comportamento e causar humores desfavoráveis ​​nos felinos. Para ser diagnosticado de forma precoce e evitar o agravamento dos sintomas, é essencial fornecer a medicina preventiva adequada a esses animais: visitar ao veterinário a cada seis meses, respeitar o protocolo de vacinação periódica e cuidar da desparasitação.

 

Soluços em gatos filhotes

Assim como acontece com os gatos adultos, em geral, quando os filhotes têm soluços é devido a uma resposta involuntária do diafragma após a ingestão excessiva de leite ou depois de mamar intensamente. Por isso, é comum observar soluços nos gatos recém-nascidos, nos pequenos gatos que começam a comer alimentos sólidos ou, ainda, nos felinos órfãos que devem ser alimentados com mamadeira.

Se estes casos foram descartados e não se sabe o porquê do recém-nascido ter soluços, procure o veterinário o mais rápido possível para encontrar causa.