Quando o seu amiguinho de quatro patas – que é sinônimo de alegria e companheirismo – muda de comportamento, pode ser um sinal de que há algo de errado com a sua saúde.

Para evitar que isso aconteça, é necessário manter a caderneta de vacinação de cães e gatos em dia. Pois, apesar de apenas a vacina antirrábica ser obrigatória, outras vacinas também são importantes.

Vacinas necessárias para cães:

Vacina antirrábica – Protege contra a raiva e deve ser aplicada em uma única dose após os três primeiros meses de vida dos cães.

Vacina V8 – Protege o cão contra cinomose, parvovírus, adenovírus tipo 2, parainfluenza, coronavírus e leptospirose causada pelas cepas icterohaemorrhagiae e canicola. A aplicação é dividida em três seções, com intervalos de 21 a 30 dias entre cada uma.

Vacina V10 – Protege de outras duas cepas causadoras da leptospirose. As aplicações seguem a mesma indicação da V8.

Outras – Gripe canina, giárdia e leishmaniose.

Vacinas necessárias para gatos:

Vacina antirrábica – Protege contra a raiva e deve ser aplicada em uma única dose após os três primeiros meses de vida dos gatos.

Vacina V3 – Protege contra o calicivírus, inotraqueite e panleucopenia. A primeira dose deve ser aplicada depois dos primeiros 60 dias do animal, a segunda, após o intervalo de 21 dias.

Vacina V4 – Protege contra a clamidiose.

Vacina V5 – Protege da leucemia felina. As doses devem ser aplicadas a partir dos nove meses do animal e com intervalo de 21 a 30 dias.

A imunização do animal só acontece após a aplicação da última dose das vacinas, por isso, até esse período, o pet não deve ter contato com outros animais.

Lembre-se: as vacinas devem ser aplicadas anualmente e apenas por médicos veterinários.

O CSA Jardins oferece todas as vacinas do calendário de vacinação de cães e gatos. Para saber mais, marque uma consulta.

Por: Dr. Thomas Marzano, diretor clínico do Centro de Saúde Animal Jardins.