21 dezembro 2018

Cuidados com o pet nas festas de fim de ano




O final do ano chegou acompanhado do Natal e do Ano Novo! Época de comemorar e se divertir muito com sua família, amigos e também com nossos animais de estimação. E para garantir a melhor diversão tanto para você quanto para ele, é preciso tomar alguns cuidados com o pet durante as festas de fim de ano.

Para te ajudar nessa tarefa, nós separamos algumas dicas e precauções importantes. Vamos a elas?

Cuidados com o pet

  1. DECORAÇÃO

Por seu tamanho e formato, os enfeites natalinos se assemelham a brinquedos e acabam chamando muito a atenção de cães e gatos. Além disso, ainda existem os laços, os galhos da árvore de natal e outros tipos de objetos pontiagudos que podem causar ferimentos na boca do bichinho, ou até complicações ainda mais sérias, caso ele engula o enfeite.

Luzes pisca-pisca também são um problema. Podem causar queimaduras na língua e no focinho dos bichinhos, além de poder gerar choques elétricos e, em casos extremos, causar alterações neurológicas ou de metabolismo. Mantenha os pets bem longe de fios expostos e os enfeites em lugares fora do alcance deles.

  1. ALIMENTAÇÃO

Muito cuidado nas refeições! Um dos principais problemas que acontecem com animais durante as festas de fim de ano é a intoxicação alimentar. Resistir aos pedidos dos pets não é uma tarefa fácil, mas a verdade é que compartilhar restos de comida pode ser muito prejudicial à saúde deles. Chocolates são altamente tóxicos para os cachorros e restos de aves podem causar danos à saúde, até mesmo perfuração de algum órgão interno.

Caso não queira deixar seu pet de fora das comemorações, alguns alimentos próprios podem ser encontrados em pontos de venda específicos. Assim, o risco de ocorrer algum problema alimentar é muito menor.

  1. FOGOS DE ARTIFÍCIO

Infelizmente a queima de fogos de artifício continua sendo uma tradição no Natal e, principalmente, no Ano Novo. Essa época do ano gera muito terror e pânico para os animais de estimação. Isso ocorre porque os cães possuem uma audição avançada e super apurada, tornando o incômodo ainda maior.

Um número alto de acidentes é registrado durante essa época devido à explosão dos fogos. Muito cuidado com janelas abertas e muros acessíveis! Os cães podem tentar saltar para conseguir “fugir do barulho”. Permaneça perto do seu melhor amigo e coloque algodão em seus ouvidos, isso pode ajudar a abafar um pouco o som e tranquilizá-lo.

  1. BEBIDAS ALCOÓLICAS

Ao fazer uma lista de cuidados para as festas de fim de ano, muitos acabam se esquecendo de um grande problema que também acontece com certa frequência: ingestão de bebidas. O álcool age rapidamente no metabolismo dos pets, podendo gerar náuseas, vômitos, crises respiratórias e até coma.

O indicado é tomar cuidado e prestar muita atenção nos copos de bebidas alcoólicas que são derramados no chão ou que são esquecidos em locais que o pet tenha um fácil acesso.

  1. FESTA EM CASA

Caso você seja o anfitrião da festa, a agitação e chegada dos convidados pode causar uma alteração de comportamento de algumas raças de cães e, principalmente, de gatos. Neste caso, optar por um hotel de confiança ou até em deixar os pets em algum cômodo separado pode ser a melhor opção.

  1. VIAGEM

O último item da nossa lista de cuidados com o pet durante as festas de fim de ano são as viagens. Aqui duas situações podem acontecer. A primeira é: caso não seja possível levar o pet junto, tente deixá-lo com alguma pessoa de confiança ou em um hotel para pets. Evite ao máximo deixar o bichinho sozinho em casa.

Mas se houver a possibilidade de levá-lo junto na viagem, o recomendado é o pet ficar por duas horas em jejum antes da viagem, além de que paradas serão necessárias para que ele possa beber água e urinar.

Outra dica importante é identificar o animal com nome e um número para contato, pois a mudança de ambiente, pessoas estranhas e o barulho alto pode levar seu pet a entrar em desespero e fugir.

E aí, gostou das nossas dicas de cuidados com o pet durante as festas de fim de ano? Espero que elas te ajudem a garantir mais conforto para seu cãozinho!

21 dezembro 2018

Pode levar cachorro na praia?




É só começar o verão que recebemos diversas perguntas sobre como podemos aproveitar esse período com o pet. Mas dentre todas as dúvidas, existe uma que sempre prevalece: pode levar cachorro na praia?

Sim, pode! Até existe cachorro que surfa (é só procurar na internet que você vai encontrar algum vídeo ou foto), MAS isso não quer dizer que podemos fazer qualquer coisa com nossos cãezinhos… Devemos tomar cuidado para que ele não se afogue ou se machuque.

Além disso, fique atento às regras! É preciso saber se é o local permite a presença de animais e também a opinião do seu veterinário. Atualmente, muitas cidades litorâneas possuem leis que proíbem a permanência de cachorros nas praias. Mas, mesmo que fosse permitido, veterinários costumam recomendar para não levar os cães à praia.

Sim, pode levar cachorro na praia, mas…

Segundos especialistas, a água salgada pode causar doenças e inflamações nos animais caso eles não sejam devidamente higienizados depois do mergulho.

Em uma matéria recente, o site Saúde, da Abril, ressalta que se o cachorro entrar no mar, a água dentro do conduto auditivo somada à areia e calor será o ambiente ideal para o crescimento de microrganismos como bactérias e fungos, que provocam a otite (inflamação dos ouvidos).

Conjuntivites também podem aparecer devido à abrasividade da areia e a ação dos raios solares em conjunto com a umidade. O resultado: olhos vermelhos, lacrimejantes e muita coceira!

O portal Terra também alerta: levar cães às praias pode causar doenças ao animal e ao dono. Entre os principais problemas decorrentes do passeio dos cães no litoral destaca-se a chamada Dirofilariose.

Popularmente conhecida como verme do coração, a zoonose é transmitida pela picada de mais de 60 espécies de mosquitos encontrados com facilidade no ambiente praiano e se aloja no coração do cãozinho. Alguns dos sintomas que podem ser provocados por ela, são:

  • Tosse
  • Falta de ar
  • Cansaço
  • Inchaço nos membros
  • Barriga inchada
  • Língua arroxeada

Em geral, o tratamento da patologia envolve internação em hospital e cirurgia.

Além do mais, outras doenças também podem ser transmitidas para humanos devido à falta de higiene dos donos no momento da limpeza de sujeiras. As principais doenças causadas são decorrentes, principalmente, das fezes infectadas dos pets que podem transmitir parasitoses intestinais como a Giardíase e a Isosporose (responsáveis por sintomas como dores abdominais, gases, vômitos, diarreia, perda de apetite), além do famoso bicho geográfico, que pode penetrar na pele das pessoas, causando feridas e forte coceira.

 

21 setembro 2018

Tranquilidade na estrada: orientações para viagem de carro com pet




Na hora de viajar, o seu bichinho é o primeiro a entrar no carro? Ou então, você tem vontade de levar o seu melhor amigo para todos os cantos? Independente do caso e da experiência do pet com a atividade, transportar animais no carro exige alguns cuidados em prol da segurança e do bem-estar de todos.

Continue Reading

28 agosto 2018

Viagem internacional com animais: cuidados no avião e em outro território




Planejamento é a palavra-chave a partir do momento em que fechamos uma viagem internacional e para tutores de pets, a dúvida é sempre a mesma: onde deixar o meu bichinho durante este período?

Continue Reading