Muitos não sabem, mas os cães, assim como os humanos, apresentam grupos sanguíneos. É muito importante conhecê-los, visto que, através de uma transfusão de sangue, é possível salvar vidas. Continue lendo esse artigo para saber mais sobre o tipo sanguíneo dos cachorros.

 

Conheça os 8 grupos sanguíneos

Reconhecidos pela sigla DEA (Dog Erythrocyte Antigen ou Antígeno Eritrocitário Canino, em português), os tipos vão desde o DEA 1.1 e DEA 1.2 – sendo esses os mais comuns – até o DEA 8.

O tipo sanguíneo de um cachorro é identificado e nomeado de acordo com a forma da membrana que recobre as células sanguíneas.

 

Por que conhecer o tipo sanguíneo do seu pet? 

Os cães, assim como outros animais, podem sofrer de hemorragias, se envolverem em acidentes ou necessitarem de uma cirurgia que precise de transfusão.

Ao contrário dos seres humanos, os cachorros podem receber qualquer tipo de sangue na primeira transfusão, sem que ocorra rejeição. No entanto, caso o bichinho precise ser submetido a uma segunda transfusão, essa deverá ser realizada com um tipo sanguíneo compatível. Caso contrário, os glóbulos vermelhos podem ser destruídos, o que seria letal para o pet.

 

Como descobrir 

A melhor maneira de determinar o tipo sanguíneo dos cachorros é através de um simples exame de sangue que pode ser realizado pelo próprio médico veterinário.

 

Em quais momentos o meu pet pode precisar de uma transfusão? 

  • Hemorragia por doenças: os cães podem desenvolver algum tipo de enfermidade que leve a perda de sangue. Com hemorragias constantes, a vida do animal corre perigo. Por isso, nesses casos, a transfusão é fundamental. 
  • Anemia 
  • Acidentes podem provocar graves hemorragias. 
  • Doenças que contaminem o sangue 

 

Quem pode receber também pode doar 

Agora que você já sabe que os cães recebem transfusões, é possível concluir que eles também podem doar sangue.

Essa é outra razão importante pela qual você deve conhecer o tipo sanguíneo do animal: ainda que ele não necessite (esperamos que nunca aconteça), ele pode ajudar outros cachorros.

Para se tornar um doador, o pet passará por uma bateria de testes para comprovar que sua saúde está perfeita. Estar em dia com vacinas e possuir microchip de localização são algumas das exigências que o tutor pode resolver no Centro de Saúde Animal Jardins, para mais informações fale com a nossa equipe. Além disso, é necessário que o animal…

  • Tenha entre um e oito anos
  • Pese mais de 20kg
  • Seja dócil
  • Não possua nenhuma doença pré-existente, transfusão prévia ou cirurgia nos 30 dias anteriores à doação
  • Não utilize medicação contínua
  • Esteja com a vermifugação atualizada
  • Esteja sem pulgas e carrapatos
  • Não esteja no cio ou tenha saído há menos de um mês
  • Mantenha um intervalo de três meses entre as doações

A doação é realizada em bancos de sangue, universidades ou centros veterinários.

Não espere que algo aconteça para conhecer o tipo sanguíneo do seu cachorro. É melhor prevenir e estar pronto para ajudar a salvar a vida do seu companheiro e, quem sabe, a de outros bichinhos.

Fonte: Meus Animais