Seu cachorro só faz xixi e cocô fora de casa? Saiba que isso não é bom. Muitos estimulam os cães a fazerem suas necessidades na rua, para manter a casa sempre limpa e sem odores. Mas ao comprar ou adotar um cachorro é preciso entender que além da companhia e das brincadeiras, ele também fará xixi e cocô, e ao delimitar isso apenas para o momento do passeio pode ser muito complicado.

Com a vida corrida, muitos conseguem levar o cão para passear apenas uma vez ao dia. Em alguns casos, duas vezes é o limite. Agora, pense: ao longo do dia o animal bebe água diversas vezes – e para a saúde, ele deve beber MUITA água mesmo. Logo, o animal sentirá vontade de fazer xixi algumas vezes ao dia também. Porém, como aprendeu a só fazer suas necessidades na rua, ficará segurando por horas, até chegar o passeio. Mas e se o tutor não estiver bem de saúde ou até mesmo com uma perna quebrada, e não puder sair para passear? E se estiver chovendo? E se aconteceu uma viagem de imprevisto e o cão precisar ficar na casa de um familiar/hotel?

Ao segurar xixi e cocô, o cão pode apresentar graves complicações de saúde, como cálculos na bexiga, cistite, infecção urinária e problemas intestinais. Por isso é importante pensar em todas essas questões antes de adotar essa regra.

Se o seu cão está nesta situação, saiba que é possível revertê-la!

Quando for levá-lo para passear, traga um jornal no bolso. Quando perceber que ele vai fazer xixi ou cocô, coloque o jornal e diga “isso, faz xixi aqui” ou “isso, faz cocô aqui” e logo depois o recompense com algum biscoitinho e elogios. Vai fazendo este exercício por vários dias, até chegar o momento de colocar o jornal no ambiente de preferência em sua casa e repetir os mesmos comandos. É bem provável que o animal já se sinta à vontade para fazer suas necessidades ali, em especial porque sabe que será recompensado. Você também pode aderir aos tapetes higiênicos, que podem ser encontrados no Centro de Saúde Animal Jardins. Eles absorvem o xixi e não deixam cheiro.

Se ainda assim o cachorro insistir em utilizar a rua como “banheiro”, persista no treinamento!

Por Tatiane Mota